Congregação Israelita Beit Itabuna - BA: Rosh Hashaná - Ano Novo Judaico

Rosh Hashaná - Ano Novo Judaico


Rosh Hashanah (ano novo judaico) é comemorado no 1º dia de Tishrei, neste ano o rosh Hashanah cairá no dia 29 de setembro, tendo inicio ao por do sol do dia 28. O mês de Tishrei é o sétimo no calendário judaico religioso. Isso pode parecer estranho, pois Rosh Hashaná, o Novo Ano, é no primeiro e segundo dia de Tishrei. A razão é que a Torá fez o mês de Nissan o primeiro do ano, para enfatizar a importância histórica da libertação do Egito, que aconteceu no décimo quinto dia daquele mês, e que assinalou o nascimento de nossa nação. Entretanto, de acordo com a tradição, o mundo foi criado em Tishrei, ou mais exatamente, Adam (Adão) e Chava (Eva) foram criados no primeiro dia de Tishrei, que foi o sexto dia da Criação, e é a partir deste mês que o ciclo anual se inicia. Por isso, Rosh Hashaná é celebrado nesta época. Um componente importante da preparação de Rosh Hashaná é pedir perdão às pessoas que ofendemos, desonramos ou com as quais não agimos da maneira correta durante o ano anterior. Da melhor forma possível, queremos começar o ano com um estado de alma limpa e sem que ninguém guarde nenhum rancor contra nós. As pessoas também devem agir rapidamente perdoando àqueles que as ofenderam ou não as trataram corretamente.

Há doze meses no ano, e há doze Tribos em Israel. Cada mês do ano judaico tem sua Tribo representativa. O mês de Tishrei é o mês da Tribo de Dan. Isto tem um significado simbólico, pois quando Dan nasceu, sua mãe Lea disse: "D'us julgou-me e também atendeu à minha voz." Dan e Din (Yom HaDin, Dia do Julgamento) são ambos derivados da mesma raiz, simbolizando que Tishrei é a época do Julgamento Divino e do perdão. O mazal de Tishrei é a Balança. Este é o símbolo do Dia do Julgamento, quando D'us pesa as boas e as más ações do ser humano. “Que você seja inscrito no Livro da Vida” Esta é a saudação usual durante esse período, e acredita-se que, em Rosh Hashaná, o destino da humanidade seja registrado por D-us no Livro da Vida. No Yom Kipur, o livro é fechado e lacrado.






O SHOFAR


O shofar é um dos instrumentos de sopro mais antigos usados pelo homem. Somente a flauta do pastor – chamada Ugav, na Bíblia – o iguala em idade (de acordo com algumas opi-niões), mas não tem função no serviço Divino nos dias de hoje. O shofar, porém, é o mesmo que aquele usado há milhares de anos. Durante a história da humanidade foram inventados instrumentos novos, abandonados os velhos e somente nos museus poderemos encontrar uma flauta antiga. Não é digno de admiração que ainda nos apeguemos ao antigo shofar? O shofar não produz sons delicados como o clarim moderno, a trombeta ou outro instrumento de sopro. Para nós, o shofar não é um instrumento "musical"; não é usado por prazer ou divertimento. Longe disto; tem um sentido muito mais profundo. É um chamado para o arrependimento, avisando a chegada dos Dez Dias de Arrependimento, que começam com Rosh Hashaná e culminam com Yom Kipur. Nos tempos antigos, o shofar era usado em ocasiões solenes. A palavra shofar é mencionada pela primeira vez em conexão à Revelação Divina no Monte Sinai, quando "a voz do shofar era por demais forte e todo o povo do acampamento tremeu". Assim, o shofar em Rosh Hashaná deve nos lembrar a aceitação da Torá e nossas obrigações decorrentes de suas Leis.


“ALIMENTOS SIMBÓLICOS”

Maçã - Mergulhamos uma fatia de maçã doce no mel, recitamos a bênção da fruta (Borê Peri Haêts) e falamos: "Yehi ratson milefanêcha shetechedêsh alênu shaná tová umetucá".
"Que seja da Tua vontade renovar para nós um ano bom e doce ".


Mel - O valor numérico da palavra "dvash" (mel) equivale ao valor de "Av Ha'Rachamim" (Pai Misericordioso): assim o mel representa a esperança de que a sentença decretada pelo Supremo Juiz seja amenizada pela Sua compaixão



Chalot - As chalot servidas em Rosh Hashaná são redondas, símbolo de continuidade e eternidade, como o círculo que não tem começo nem fim; sem ângulos, nem arestas, um pedido para um ano sem conflitos. Costuma-se mergulhar o pão no mel em vez do sal habitual, em todas as refeições desde Rosh Hashaná até o sétimo dia de Sucot.

Shalom Amigos! Receba Novidades Por email!

DIGITE SEU EMAIL

Após a inscrição confirmar na sua caixa o e-mail recebido !

 
© 2009 BEIT ITABUNA